Seu cérebro não é um computador (ou: como lidar com o excesso de informação no doutorado?)

Quando falei aqui no blog sobre como eu uso o Evernote para a pesquisa, teve gente que comentou sobre a quantidade de notas salvas no caderno “Ler quando tiver tempo livre“. Na época, eram 344. Hoje, são 250:

evernote


Esse caderno de textos salvos para ler depois já estava me deixando angustiada há algum tempo, por dois motivos: 1. Ter tempo livre durante a escrita da tese parece piada de mal gosto, principalmente com outros projetos profissionais simultaneamente em andamento; 2. Ao invés de diminuir, a lista só aumentava, porque eu continuava salvando novos e mais itens a cada dia, e nunca lia e retirava textos de lá na mesma velocidade.

Então, nos meus 30 dias de férias que me dei de presente entre dezembro de 2017 e janeiro de 2018, fiz um esforço de avaliar pelo menos 5 textos por dia, ler os que realmente valiam a pena e jogar fora todos os links e textos que não me ajudavam em nada. Percebi que salvei muita coisa inútil. Guardei tantas referências que “podiam ser importantes” mas, quando realmente peguei para ler, quase tudo foi pro lixo.

(nem vou comentar sobre o que li e escrevi nos 30 dias de férias, deixo isso para outro post)

A gente às vezes cria a ilusão de que vai dar conta de ler tudo, de ser tudo. O que não falta é texto pela internet dizendo como ser um profissional mais produtivo, focado, como dar mais resultados.

Mas a gente não é uma máquina, né.

Parece tão óbvio, mas preciso repetir isso pra mim mesma várias vezes em uma semana para saber que não preciso (e não vou) dar conta de tudo. É preciso escolher as batalhas certas e pra onde vamos direcionar nosso foco a cada dia. Descansar e se distrair tem que entrar nessa lista também.

phd012218s
Do maravilhoso PhD Comics

Excesso de informação e a vida acadêmica

Essa semana eu li esse texto que fala sobre como nosso cérebro não ‘processa’ informação e sobre as diversas metáforas que já foram criadas para tentar explicar o funcionamento do cérebro, o aprendizado e as memórias. Ter consciência de que a gente não é um HD pronto para receber mais e mais e mais informações diariamente, nesse volume louco de dados com os quais a gente lida hoje em dia, pode ser libertador.

A gente lês as coisas e esquece, é normal. Não existe um lugar na nossa ‘memória’ de onde resgatamos textos, aprendizados e experiências, nada disso fica salvo exatamente como nos aconteceu da primeira vez pra gente ‘ver de novo’ sempre que precisar. É um exercício cotidiano resgatar essas referências, colocar no papel, dar sentido a tudo em um texto original que ao final chamaremos de tese. É um processo, demora, leva tempo.

Nesse processo, há muitos eventos e artigos para serem escritos, há muitos periódicos esperando nossa submissão, mas também há a vida, e os prazos da tese, e as exigências do programa de pós-graduação, e o trabalho, e as oportunidades profissionais que não podemos perder (e família, amigos, etc).

phd012609s
Mais uma ótima tirinha do PhD Comics.

Para passar pelos quatro anos do doutorado, tenho optado por aceitar esse processo em sua incompletude e ter mais paz de espírito. Estou aprendendo também a aceitar que não vou dar conta de ler tudo, muito menos vou escrever tudo o que eu quero, por melhores que sejam minhas intenções e por maior que seja minha vontade de fazer algo realmente relevante nesse processo.

Para finalizar, compartilho essa imagem que achei pelo Facebook também no fim do ano passado. Acho que o texto original é do antropólogo David Berliner. É o que espero da experiência do doutorado daqui pra frente:

como se liberar de seu falso self acadêmico

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s